Follow by Email

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A minha cirurgia

Foi dia 01/12/2011. Teve  início às 7h30 da manhã. Foi melhor do que eu esperava. Quando vi o Dr. Ricardo (meu mastologista) fiquei tranquila. Tomei a anestesia geral e quando acordei já era por volta das 12h, o Dr Ricardo veio me ver, já tinha falado com o meu marido, e me confirmou que a cirurgia tinha sido um sucesso, que ele tinha tirado todo o tumor. Meu marido ficou comigo no hospital o tempo todo. Meus pais vieram me visitar. No dia seguinte já estava de alta e minha família veio me dar mais força. Fiz a mastectomia radical modificada, com reconstrução imediata (com prótese de silicone) Apesar de sentir muita dor, quando estava no quarto a primeira coisa que fiz foi olhar para os meus seios.  E isso me fez me sentir melhor. Sei que cada caso é um caso,  mas a reconstrução ajuda muito na nossa auto estima Não importa se é imediata, depois de alguns meses ou anos. Hoje já fazem 29 dias que operei, ainda não posso pegar peso, nem fazer esforço. Meus pontos abriram um pouco, continuo com os pontos e fazendo curativo. Uso um sutiã pós cirúrgico e roupas leves e fácil de colocar pois preciso de ajuda para me vestir já que não posso levantar o braço (fiz esvaziamento axilar também). Estou bem , continuo sentindo dores mas cada dia um pouco menos... E estou muito feliz de ter passado o Natal em casa com a minha família. Agora aguardo o resultado dos exames para saber como vou continuar o tratamento. O Dr. Ricardo e a Dra. Martha (minha oncologista) já me prepararam para uma possível quimioterapia e depois radioterapia. E eu que achei que já estava livre......rsrsrsr. Mas não tem problema, fiquei meio chateada mas já passou, vou fazer tudo o que for preciso para me curar. Hoje fiz exames de sangue (há 2 meses que não fazia) Continuo o tratamento em janeiro.
FELIZ 2012!!!!
foto tirada com 2 meses após a cirurgia.

Cirurgia Reconstrutiva


Para mulheres que necessitam ou preferem se submeter a mastectomia radical ou mastectomia total, a cirurgia para reconstrução da mama retirada é uma op-
ção de tratamento. A reconstrução pode ser realizada 
ao mesmo tempo em que a mastectomia (reconstrução 
imediata) ou posteriormente (reconstrução tardia). 
Reconstrução imediata tem muitas vantagens. (É O MEU CASO)
Primeiro, há menor trauma psicológico, já que a mulher 
não precisa viver sem o contorno mamário por um 
período de tempo. Segundo, apenas uma cirurgia é 
necessária. Isto é importante, já que anestesia geral 
sempre tem um pequeno risco de complicações signifi-
cativas. Terceiro, o resultado estético da reconstrução 
imediata é, geralmente, melhor, já que alguma pele da mama pode ser preservada e incorporada ao novo 
contorno mamário.
No entanto, a reconstrução imediata não é adequada 
para todas as pacientes. Reconstrução mamária deve 
ser adiada se a paciente está insegura quanto a realizar a cirurgia, se radioterapia complexa no período 
pós-operatório está sendo considerada ou se anestesia 
prolongada irá, com certeza, aumentar o risco cirúrgico.
Reconstrução mamária pode ser realizada com uso de 
próteses ou do próprio tecido da paciente. Próteses são 
bolsas de silicone, preenchidas com líquido salino ou 
gel de silicone, que são colocadas cirurgicamente atrás 
da pele ou do músculo peitoral. A principal vantagem 
das próteses é que elas podem ser inseridas rapidamente e com facilidade; logo, o tempo cirúrgico é relativamente pequeno. No entanto, as próteses possuem 
diversas desvantagens: elas podem causar infecção e 
romper, causando extravasamento do líquido salino 
ou do gel de silicone. Próteses também podem causar 
contratura capsular, uma rigidez do tecido ao redor da 
prótese. Outra desvantagem é que, para muitas mulheres, o tecido peitoral necessita ser esticado por um 
período de quatro a seis meses antes da prótese poder 
ser implantada. Além disso, o tempo que a prótese irá 
durar, sem necessitar de substituição, é incerto.
Por estas razões, o uso do próprio tecido da paciente se tornou o método de escolha para a reconstrução 
mamária. Neste tipo de reconstrução, um retalho (pedaço) de pele e músculo (retalho miocutâneo) é retirado de outra parte do corpo e usado para reconstruir o 
contorno mamário. Existem diversos tipos de retalhos, 
cada um nomeado com o nome do músculo de origem. 
Os dois principais retalhos utilizados na reconstrução 
mamária são o retalho grande dorsal , retirado das costas, logo abaixo do ombro, e o retalho miocutâneo reto transversal abdominal (TRAM) , que é retirado do abdômen.
O retalho TRAM é, às vezes, chamado de retalho “barriga costurada”, já que tecido gorduroso do abdômen 
é usado para criar o contorno mamário. Em alguns 
casos, um retalho é puxado de um lugar para outro 
sem cortar vasos sangüíneos, para cobrir o local da 
mastectomia. Em outros casos, os vasos são cortados 
e reconectados com o uso de microscópios.
Mulheres que irão realizar reconstrução mamária 
imediata são candidatas a realizar mastectomia poupadora de pele, que permite remover menor quantidade de pele da mama. Isto, geralmente, inclui retirada do complexo mamilo-aréola e da pele do local de 
retirada do tumor ou da biópsia. Esforço é realizado 
para deixar a maior quantidade de pele possível, a 
qual será usada como envelope para a reconstrução 
do tecido.Se a mulher desejar reconstrução do mamilo, ela é geralmente realizada após, usando pedaços da pele ao 
redor. Após isto, é tatuada uma figura de mamilo e 
aréola, com uma cor semelhante à do mamilo e aréola 
contralateral

Mastectomia


A mastectomia implica a remoção de todo o tecido mamário, algumas vezes junto com outros tecidos próximos.
Em uma mastectomia simples ou total, o cirurgião remove toda a mama, incluindo o mamilo, porém não remove linfonodos axilares nem tecido muscular de baixo da mama. Às vezes, isso é feito com ambas as mamas (mastectomia bilateral), especialmente quando realizado como cirurgia preventiva em mulheres com propensão elevada ao câncer de mama. A maioria das mulheres, quando hospitalizada, pode voltar para casa no dia seguinte.
mastectomia radical modificada envolve a remoção da mama toda e de alguns linfonodos axilares. Essa é a cirurgia mais comum para mulheres com câncer de mama submetidas a remoção de toda a mama.
(Essa foi a cirurgia que eu fiz))
A mastectomia radical consiste de uma cirurgia de grande porte que remove toda a mama, linfonodos axilares e músculos peitorais (da parede torácica) sob a mama. Essa cirurgia foi bastante comum no passado. Entretanto, tendo em vista a desfiguração e os efeitos colaterais por ela ocasionados, e uma vez comprovado que a mastectomia radical modificada é tão eficaz quanto a mastectomia radical, hoje esta última é raramente realizada.
Para algumas mulheres com tumores menores, uma opção pode ser o novo procedimento conhecido como skin-sparing mastectomy (mastectomia com preservação cutânea), em que a maior parte da pele da mama (exceto o mamilo e a aréola) é conservada intacta.
Possíveis efeitos colaterais: Sem mencionar a dor do pós-operatório e a alteração evidente no formato da(s) mama(s), os possíveis efeitos colaterais da mastectomia e da lumpectomia incluem infecção da ferida, hematoma (acúmulo de sangue na ferida) e seroma (acúmulo de líquido incolor na ferida). Caso também sejam removidos linfonodos axilares, podem ocorrer ainda outros efeitos colaterais.



quarta-feira, 12 de outubro de 2011

6ª quimioterapia

Bom dia! Comecei a minha 6ª quimio, no dia 10 de outubro e ficarei internada aqui no Hospital São Lucas até o próximo sábado dia 15. Não é fácil ficar esses dias todos aqui no hospital, mas tenho consciência que é para a minha reabilitação e cura. Desta vez não fiquei muito enjoada, mas não consigo comer a comida do Hospital, mas me alimento de frutas, sucos e muita água. Agora aguardo as minhas injeções diárias de granulokine para aumentar a minha imunidade até sábado, para poder receber alta e poder curtir minha familia completa. Quem fica comigo todos esses dias é o meu maridão Luiz. Ainda bem, pois os dias passam um pouco mais rápido. Aproveito também para atualizar o blog, ler alguns emails, e ler um livro...
Acredito que já estou na fase final dessa minha luta contra o câncer, ainda falta a cirurgia, é o que mais quero, tirar de uma vez de mim. E assim que estiver totalmente curada poder falar para todos!!!

Feliz dia das crianças e feliz dia de N. S Aparecida.



Remedinhos..... TAG






Pode ser um pouco impressionante, mas correu tudo bem. Os  enjòos só aconteceram logo após as quimios.





Durante a quimio, posando para a fotinho.


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Suely vivendo e aprendendo: Movimento Mundial Outubro Rosa

Suely vivendo e aprendendo: Movimento Mundial Outubro Rosa: O “Movimento Mundial Outubro Rosa” é um movimento criado para simbolizar a luta contra o câncer de mama. O movimento começou nos Estados...

Movimento Mundial Outubro Rosa


O “Movimento Mundial Outubro Rosa” é um movimento criado para simbolizar a luta contra o câncer de mama. O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários estados faziam campanhas isoladas referentes ao câncer de mama no mês de outubro, até que o Congresso Americano determinou outubro como o mês nacional de prevenção à doença.
A ação começou a ser efetivamente comemorada em 1997. No início, as cidades se enfeitavam com laços rosa, principalmente nos lugares públicos. Depois, surgiram outros eventos, como corridas, desfiles e partidas de boliche em prol da causa.
Não se sabe ao certo quando começou, mas de uns tempos para cá a iluminação cor-de-rosa de monumentos, prédios públicos e teatros, passou a ser a representação do “Movimento Mundial Outubro Rosa”. O mais importante é que dessa maneira, todos podem participar da ação, é só adequar a iluminação já existente.
Há alguns anos, as ações relativas ao “Movimento Mundial Outubro Rosa” se multiplicaram pelo Brasil, com a iluminação de monumentos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo.
A primeira ação realizada em Santos pelo Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama, foi a iluminação rosa da Fortaleza da Barra em comemoração ao Dia das Mães e ao Dia Estadual (SP) de Prevenção ao Câncer de Mama. Depois disso, as ações relativas ao “Movimento Mundial Outubro Rosa” se multiplicaram pelo Brasil.

Com o apoio do ISO - Instituto  Santista de Oncologia,  (onde eu faço o meu tratamento do câncer) , o Núcleo de Oncologia Santista (NOS) vai aderir a campanha do “Movimento Mundial Outubro Rosa” .

Fonte: www.isoncologia.com.br

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O que é câncer de mama ?

Câncer de mama é o desenvolvimento anormal das células do seio. Estas células crescem e substituem o tecido saudável.


Câncer de mama é uma doença tratável. A descoberta precoce é a chave para sobreviver ao câncer de mama. O câncer normalmente começa com um pequeno nódulo que, com o tempo pode crescer e se espalhar para áreas próximas, como os músculos e pele, assim como nódulo de pus sob o braço. Principalmente o tumor pode se espalhar para órgãos vitais como fígado,cérebro, pulmão e espinha.


Mais ou menos uma entre oito mulheres desenvolvem câncer de mama. Mesmo com o recente progresso de descoberta precoce e tratamentos aperfeiçoados, o câncer de mama é terceira maior causa de morte para mulheres nos E.U.A


Como ocorre?A causa do câncer de mama não é conhecida. Qualquer mulher pode desenvolver câncer de mama e apesar de muito menos comum, homens também podem. Algumas mulheres são mais propícias a desenvolver câncer do que outras se apresentarem os seguintes fatores :


- Ter mãe ou irmã com câncer de mama
- Nunca ter tido filhos
- Ter tido o primeiro filho após os 30 anos
- Histórico de exposição a radiação
- Fumar
- Terapia hormonal (estrogênio)
- Uso excessivo de álcool
- Ferimento no seio
- Obesidade


Não há evidências definidas ainda que o uso de pílulas por um longo período de tempo pode causar câncer de mama, mas esta possibilidade continua a ser estudada. Também parece que tomar estrogênio depois da menopausa causa um pequeno aumento de risco de câncer de mama.


Pesquisadores também estão estudando alguns vírus como possíveis causas.


Quais são os sintomas?Na maior parte das vezes o primeiro sinal do câncer de mama é um pequeno nódulo no seio. O nódulo é geralmente indolor que pode crescer lenta ou rapidamente.


Outros sintomas do câncer de mama incluem:


- Mudança de cor, reentrâncias, enrugamentos, ou elevação da pele em uma área do seio
- Uma mudança do tamanho ou formato do seio
- Secreção no bico do seio
- Um ou mais nódulos nas axilas


Como é diagnosticado?Para descobrir o câncer de mama o mais rápido possível, você deverá, a partir do momento que tiver idade suficiente para ter exames ginecológicos anuais:


- Fazer um auto exame mensal
- Fazer exame médico pelo menos uma vez ao ano
- Fazer uma mamografia entre 35 a 39 anos de idade. A partir daí, após os 40 a cada 1 ou 2 anos, de acordo com o programa recomendado pelo seu médico. A partir dos 50 anos, você deve fazer uma mamografia a cada ano. Se você apresentar características de alto risco de câncer de mama, você deve começar a fazer mamografias regulares aos 35 anos ou menos.


A maior parte dos nódulos não são câncer. Na maioria das vezes eles são cistos com fluidos no tecido do seio que aumentam e diminuem com o ciclo menstrual. Mas todo nódulo deve ser avaliado.A avaliação normalmente envolve:


- um exame médico
- uma mamografia
- uma biópsia de agulha ou cirúrgica (estes testes devem ser feitos mesmo que o nódulo não seja visto na mamografia)


Se fizer biópsia de agulha (também chamada de aspiração de agulha), primeiramente será aplicada uma anestesia local para adormecer a área do seio que será analisada. Então o médico insere uma agulha dentro do nódulo e retira o fluido ou tecido dele. Se o fluido completar a agulha, o nódulo é um cisto de fluido e não câncer. Remover o fluido também faz o nódulo desaparecer. O tecido retirado pela agulha será examinado no laboratório.


Se fizer biópsia cirúrgica, será aplicada uma anestesia local por seu médico que fará um corte no seio e removerá o nódulo. Este tecido será examinado através de um microscópio. Um teste receptor de estrogênio (ER) poderá ser feito com a amostra da biópsia para ver se os hormônios promoveram o crescimento do tecido cancerígeno. Um nódulo linfático também pode ser removido das axilas para que se verifique se o câncer estendeu-se além do seio.


Como é tratado?Se um nódulo do seio é cancerígeno, a decisão para tratamento será feito por você, seu cirurgião, e seu oncologista (especialista de câncer).Estas decisões serão baseadas no tipo e no tamanho do câncer e se ele estendeu-se para o nódulo ou para outras partes do corpo.


Os possíveis tratamentos cirúrgicos são lobectomia (remoção somente do tecido cancerígeno) ou mastectomia (remoção completa do seio). Outros tratamentos possíveis são a radiação e a quimioterapia, estes tratamentos podem ser usados isolados ou em combinação.


Se você estiver considerando a mastectomia, você deve discutir com seu cirurgião as opções e datas para a reconstrução cirúrgica.


Como posso me cuidar?Se foi diagnosticado câncer de mama:


- discuta com seu médico a respeito do câncer e opções de tratamento. Não hesite em ter uma segunda opinião.
- Pergunte para seu médico o que deve ser feito caso o tratamento cause desconforto.
- Faça exames regulares após o tratamento terminar.
- Continue com auto-exame mensal, mesmo que ambos os seios tenham sido removidos cirurgicamente, para que se possa perceber cedo a reincidência do câncer, caso haja.


Muitos serviços de suporte estão disponíveis para as mulheres com câncer de mama. A sobrevivência ao câncer de mama continua sendo aperfeiçoado. A maior parte dos tumores são encontrados pelas próprias mulheres. Quanto mais as mulheres fizerem o auto-exame regular, mais o câncer será constatado prematuramente. Como a mamografia e outras tecnologias aperfeiçoam-se, o câncer tem sido detectado antes mesmo de sua existência ser sentida ou suspeita. Detecção prematura aumentam grandemente as chances de sobrevivência e facilitam o êxito do tratamento. Para detectar o câncer prematuramente:


Faça um auto-exame mensalmente.


- Faça mamografias anuais a partir dos 50 anos
- Não ignore um nódulo ou mudança na aparência ou sensação do seio. Lembre-se que o tumor cancerígeno é normalmente indolor.


Copyright 1999 Clinical Reference Systems.Q

FAÇA O AUTO EXAME

FONTEDEPESQUISA:http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3217&ReturnCatID=690

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Vaidade





 Essa doença mexeu muito com a minha vaidade. Com as partes que mais gosto de cuidar, que me deixam mais femininas. Primeiro o meu seio,  onde tudo começou. É uma das partes do meu corpo que mais gosto. E depois da quimio, precisei cortar os cabelos, sempre gostei deles compridos. Primeiro bem curtos e depois de 13 dias da primeira quimioterapia eles começara a cair. Raspei  com máquina zero da minha segunda quimio, no hospital mesmo.
Minhas unhas, sempre gostei  delas compridas e pintadas. Agora tenho que deixá-las curtas e sem pintá-las. E devido a quimio, elas ficaram roxas.
E por causa da medicação e fato de não poder fazer exercícios físicos, estou engordando. Posso fazer caminhada, às vezes faço, mas me canso logo. Passo as 2 semanas depois da quimio, praticamente em repouso, e comendo muito. Preciso estar bem alimentada, por causa da minha imunidade.
Mas tudo isso é uma fase de superação. Vivendo e aprendendo. Aprendi que a saúde é mais iimportante. Logo estarei curada! Aí deixarei meus cabelos e unhas crescerem, farei academia...
O importante é estar bem.




5ª quimio

Hoje estou fazendo a minha 5ª quimio. Estou bem, mas os enjoos já começaram. Vou ficar  internada ate sábado, devido as injeções de granulokine que preciso tomar para não baixar muito a minha  imunidade.
Estou bem melhor agora, do que quando comecei o tratamento : já estou na metade. O tumor regrediu bastante,estou vendo o resultado. E o meu lado psicológico também melhorou muito, graças à Deus, é Ele que me fortalece. Cada vez  mais acredito na minha cura; em breve estarei curada! 


terça-feira, 16 de agosto de 2011

2ª e 3ª Quimioterapia

A minha 2ª QT foi no dia 19/07, foi bem parecida com a primeira, sem muitos enjôos, tudo como esperado. Mas tive a oportunidade de conhecer uma pessoa especial, Sara, que também estava fazendo QT e me contou um pouco de sua experiência, me ajudou com sua preocupação comigo, em especial, meu cabelo continuava caindo... e aquele nervoso... só ela (Sara) sabia o que eu estava passando...
Depois de 2 dias tive alta, mas por causa da minha imunidade baixa, no oitavo dia precisei ficar internada por mais 4 dias...
Já na 3ª Quimio, fiquei quase uma semana internada, devido a minha baixa imunidade, precisei tomar a medicaçâo (granulokine)logo após a quimio. Dessa vez, tive muuuiito enjôo...mesmo depois que cheguei em casa. Mas agora estou bem, graças à Deus, e à todos que estão orando e torcendo por mim. Às vezes, até esqueço que estou doente, pois, não sinto nenhuma dor, só me lembro quando quero fazer alguma coisa e não posso, comer alguma coisa que não posso. Conversei com minha médica sobre isso, e ela me disse para me poupar agora, por exemplo, não dirijo, para evitar "estresse no trânsito", não posso pegar peso e nem fazer esforço físico, passar nervoso. Ela me disse: Agora é hora de pensar em você, relaxar...
Amanhã é meu oitavo dia, vou fazer exame de sangue e saber como está a minha imunidade. Espero que eu não precise voltar para o Hospital... beijos e até breve!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Minha 1ª Quimioterapia

Foi no dia 27/06/2011, no Hospital São Lucas, em Santos (só tenho elogios para o Hospital, para as enfermeiras, para a ISO (que é a clinica que Dra. Martha Pedicaris atende e para todos que trabalham lá).






Dra. Martha Pedicaris                

                                                                       ISO Hospital Dia

                                                                                              ( Agradeço à toda equipe)



 Hospital São Lucas
(Agradeço à toda equipe)





Comecei por volta das 11h até umas 16h, depois foram medicações para evitar os efeitos colaterais e hidratação com soro. Fiquei 2 dias internada. Meu marido ( mais um anjo) ficou comigo o tempo todo.
Depois no oitavo dia que fiz a quimio, tive que fazer uma exame de sangue. Fiquei sabendo que os meus leucócitos estavam muito baixo , que me causava baixa imunidade. A clínica ISO também teve acesso a esse exame e me ligou dizendo que eu teria que me internar no dia seguinte no Hospital São Lucas.
Sendo assim estava lá, mais uns dias internada, tomando umas injeções na barriga (granulokine) para aumentar os leucócitos e outros medicamentos para evitar qualquer doença, pois até uma gripe poderia ser fatal. (só tive aftas na boca...)
Deu tudo certo, voltei para casa dos meus pais (mais anjos) e depois de 13 dias meu cabelo começou a cair. Meu cabelo era muito comprido e a Drª Marta já havia me pedido para cortar curtinho. Cortei na altura dos ombros, mas se eu soubesse poderia ter cortado mais. Fui tomar banho e lavar os cabelos, quando percebi que ele começou a cair em mechas, comecei a chorar de nervoso... desliguei o chuveiro. Liguei para o meu marido e decidimos cortar o restante. Antes passamos numa loja e compramos uma peruca e um lenço. Cortei os cabelos (parecido com a da Sandra Annemberg ,Jornalista).
Depois me olhei no espelho a me achei bem.

Como eu descobri

Segui a orientação do meu médico por telefone, e fui ao Mastologista Dr. Ricardo da Costa Pinto. Muito simpático, me pediu os exames anteriores e depois me examinou. Enquanto eu saia da sala de exame, escutei ele falando pro meu marido que suspeitava de câncer de mama. Fingi que não ouvi.
Meu marido ainda questionou dizendo que os dois médicos falaram em inflamação. Ele olhou para mim, e falou que ele era especiaista, e que na opnião dele era câncer e que eu precisava fazer uma biopsia com urgência, para confirmar e já me pediu exames de sangue,exames para confirmar se eu não tinha câncer em outros lugares do corpo, óssos, torax, instestino, ovário...etc...depois dos exames era pra eu voltar. Me disse que no meu caso o melhor era fazer um 6 sessões de quimioterapia para depois pensarmos em cirurgia. E se precisasse remover o seio, já saia da sala de cirurgia com silicone, linda e maravilhosa. E me olhou nos meus olhos e falou: daqui a 6 meses você estará curada!
A biópisa fiocu pronta no começo de junho/2011 e ele tinha razão: era câncer de mama, e já esstava com 8 cm. Dr. Ricardo de indicou alguns oncologistas. Consegui marcar com a Dra Martha Pedicaris,(um anjo) que logo ficou comovida com meu caso e já agilizou tudo, Me orientando tudo o que eu não devia fazer nesse período, e já marcando a primeira quimio para o dia 27/junho/11.
Me explicando tudo antes da quimio, os efeitos colateriais, que a quimio ataca todas as células, as do tumor e as células boas, principalmente as que reprozudem mais rápidas,mucosas, cabelos e unhas... E que no meu caso entraria com uma medicação mais forte, devido a evolução do meu tumor, pois no dia que ela me examinou o meu tumor já estava em 15 cm.  Me pediu mais alguns exames de sangue e um cardiologista.

Como tudo começou:

Costumo ir ao ginecologista a cada 6 meses. Faço ultrasson da mama a cada 6 meses.  Trato sempre com o mesmo médico, Dr Carlos  Villar (em Santos) há 7 anos.
Primeiramente, encontrei um nódulo pequeno , 1 cm +/-, em fev/2011. Fui ao meu ginecologista,que me pediu um ulltrasson da mama e uma mamografia. No resultado apareceram 2 nodulos, provavelmente benignos, pedindo para que eu repetisse esses exames depois de 6 meses. Meu médico, Dr. Carlos Villar, achou melhor aguardar uns 3 meses para a realização de novos exames. Se algo acontecesse antes para eu entrar em contato com ele. Em abril/2011 meu seio esquerdo que tem o nódulo inchou muito e ficando endurecido e avermelhado.  Liguei para o Dr Carlos, ele perguntou se eu já estava próxima a minha mesntruação e pediu para me ver depois desse período. Por causa da dor que eu esta sentindo, ele me receitou um antiflamatório. Consultei com ele então somente em maio/2011 e quando ele me examinou, se assustou e pediu para eu refazer todos os exames novamente. Perguntei a ele o que poderia ser: ele me disse: talvez uma inflamação. Fiz os exames na Clinica Radiológia Reginaldo Araujo,  O proprio Dr. Reginaldo me atendeu, também ficou assustado, como moro em Mongaguá e a Clinica e os meus médico são de Santos ele pediu para eu aguardar que ele já me daria o resultado. Enqunto isso ele já havia ligado para o meu ginecologista.
Assim que ele me entregou os exames pediu para levar rapidamente para um mastologista. Mas falei que não tinha um, que havia me pedido esses exames foi meu ginecologista. Então resolvi ligar para o Dr Carlos ali mesmo. Ele me atendeu por telefone mesmo, e quando fui falar comn ele dos resultados, ele disse que o Dr Reginaldo já havia ligado para ele, que no meu caso era melhor procurar um mastologista, que o meu caso era grave, me passou alguns nomes de Mastologista da confiança dele e que não tinha tempo para buracracia de convênio. Eu teria que marcar mais rápido possivel porque poderia me dar uma infecção generalizada. Naquele momento, fiquei com medo e chorei.